2 mil posts

4 de dezembro de 2008

Neste dia eu registrei o domínio atual. Estava “profissionalizando” um projeto pessoal – o ubuntudicas.blogspot.com – para algo que não sabia onde ia parar, mas tinha certeza que precisava ser feito.

E hoje, cheguei a marca de 2.000 (dois mil) posts neste novo domínio.

Quase 4 anos de trabalho árduo e quase solitário. E não posso esquecer de mencionar os vários colaboradores que passaram por aqui. Obrigado pelos artigos originais, amigos colaboradores!

Agradeço de coração àqueles que um dia fizeram alguma doação ao site. Sou um blogueiro que depende de ajuda para manter o site no ar e sem ações como esta, muito provavelmente eu não estaria digitando este texto.

Aos parceiros! Não posso e nem devo esquecer de mencionar as empresas LOCAWEB e LINUX SOLUTIONS que apostam no meu projeto e trabalho. Muito obrigado pelo suporte e que continuemos por muito mais anos!

E nestes 4 anos eu fiz muitas amizades virtuais e algumas pessoais. Isso não tem valor. Pessoas que entenderam o objetivo do blog que foi sempre ajudar a quem nunca teve a quem perguntar sobre linux. Pessoas que eram chamadas de “noobs” (lembram disso?) e que tinham medo de usar uma tela preta, chamada de terminal. Estou aqui para tentar ajudar. Obrigado pelas visitas diárias.

Não posso deixar passar a oportunidade de lembrar de muitos que fazem parte de “postos importantes” dentro da chamada comunidade linux no Brasil, em especial a comunidade Ubuntu e que fazem questão de não colaborar com nada que faço, com nenhum projeto criado por mim e que não tem nem a mínima educação em mencionar, tuitar ou comentar algo feito pelo Ubuntu Dicas e que se acham a fina nata da humanidade:

Chupa! :-P

Abraços a todos e como diria Duke Nukem:

PIECE OF CAKE!

 

Do 10.04 pro 10.10

Regras na mudança

Esta chegando o momento de fazermos o upgrade no sistema. E quando esse dia chegar, não podemos esquecer de algumas regras básicas, mas que fazemos questão de não segui-las e ai, só chorando “o leite derramado”.

Regra básica

Eu aconselho em fazer backup SEMPRE de seus documentos (pasta /usuario). Você queimar seus documentos num DVD-R, num pendrive, em CD-R ou até mesmo criar uma partição /Home separada.

Mas o importante é que não seja preguiçoso e faça seu backup! Você nunca vai se arrepender.

Existem duas formas de atualizar o Ubuntu 10.04 para o 10.10:

1) On-line

Nesta forma, você baixa os arquivos na hora e o sistema trata de ir se atualizando. Para isto, basta clicar ALT + F2 e digitar “update-manager -d” (sem aspas).

O processo é fácil e auto-explicativo.

Prós:
– não precisa queimar nenhuma mídia.

Contra:
– precisa de banda larga e alguma paciência.

2) baixando o arquivo .ISO

Este é o jeito mais comum. Você baixa o arquivo .ISO referente ao seu harware (32 ou 64 bits), “queima” numa mídia CD-R ou num pendrive (prefiro num pendrive. Não gasto $$ e é “politicamente correto”) e re-inicia seu micro com o boot pelo drive de CD ou pelo USB. Aí é só seguir os passos normais de instalação.

Sugestões

Pela minha experiência, posso afirmar com alguma convicção que independente da forma como irá atualizar a versão do seu Ubuntu, faça isso depois de uns 20 a 30 dias DEPOIS do lançamento.

Explico: o sistema apesar de estar pleno para uso imediato sempre terá updates diários, por conta das informações que a Canonical irá receber dos seus usuários/forncecedores. E isso acarreta updates constantes que muitas vezes pode gerar a falsa impressão de que o sistema é falho ou inacabado.

Outra coisa. A versão 10.04 esta bem segura e sendo LTS você não precisa se preocupar com o suporte durante 3 anos. A versão 10.10 não tem um visual diferente o bastante que necessite de um upgrade. Vai de sua necessidade ou ansiedade em usar.

Enfim, experimente o Ubuntu.

O Ubuntu deve melhorar!

O linux/Ubuntu é muito bom, mas não é perfeito, e sou muito criterioso com isso, pois não me considero xiita. E já que 2010 tá chegando, listo aqui alguns itens que deveriam ser pensados com mais afinco pela equipe de desenvolvimento da Canonical:

  1. melhorar o suporte no PulseAudio;
  2. trocar o Evolution pelo Thunderbird;
  3. implantar uma GUI para redes sociais (twitter, facebook, orkut, etc);
  4. e tirar a praga do GRUB 2 voltando pro GRUB anterior.

Claro que isso são opiniões pessoais, mas que no andar da carroagem, deveriam ser repensadas nas próximas versões.

E você? O que acha que poderia melhorar?

Presente de Natal

papai_noel-300x297E o ano de 2009 está acabando e para variar você está sem grana, duro, pobre… um desgracento não é?

E precisa arrumar presentes para seus amigos e inimigos?

Então aproveita esse momento tão fraterno e dê de presente um CD-R do UBUNTU! Imprima uma capinha maneira, queime um cd-r com a iso do Ubuntu e faça muito pelo aquilo que gosta.

Todos gostarão!

Cinco razões que fazem o Ubuntu 9.10 melhor que o Windows 7

Steven J. Vaughan-Nichols, da PC World/EUA
05-11-2009

Nova versão do Linux (e praticamente qualquer outra distribuição) faz tudo que se precisa no PC, por menos dinheiro e problemas.

Mesmo reconhecendo que a Microsoft fez um bom trabalho com o Windows 7, que o novo sistema operacional está mais leve e é mais seguro que as versões anteriores já lançadas pela empresa, o que faz, então, um grande número de usuários continuar preferindo usar o Linux (sem contar os novos adeptos) e defender a plataforma open source com unhas e dentes?
Se os motivos listados abaixo lhe soam repetitivos, é porque eles continuam a ser os principais atrativos do sistema operacional Linux que a Microsoft ainda não conseguiu vencer.

Segurança
Está provado: o Windows 7 é, realmente, o Windows mais seguro já criado pela Microsoft. Mas é melhor do que o Vista? Sim, é. Mais rápido do que o Windows XP? Hum… não muito. Ele conta com toneladas de aplicativos para ele? Sim.

Mas o Windows 7 vai continuar enfrentando a infindável batalha dos malwares e ainda carrega muito de um modelo de segurança a era pré-internet? Sim, infelizmente a resposta é sim.

É possível manter um PC com Windows seguro, a partir de hábitos seguros e munidos das ferramentas adequadas. Isto é um pouco mais fácil para aqueles usuários com mais experiência em computadores e que não se deixam enganar facilmente pelos novos truques que os criminosos virtuais vem empregando.

O problema é que nem todo mundo tem esse conhecimento e mesmo os que têm não querem passar o tempo todo atentos a esse tipo de situação, não querem ter de se preocupar se serão hackeados enquanto fazem compras na web ou ter de pensar duas vezes antes de visitar um site ou clicar em um link que chegue pelo correio eletrônico.

No Linux, felizmente, esses problemas simplesmente não existem e os usuários podem usar seus computadores sem este tipo de preocupação.

Preço
Ok. Aqui vamos nós, uma vez mais, entrar na discussão sobre preço. Temos o novíssimo Ubuntu 9.10 funcionando perfeitamente em um PC da HP com processador Intel Pentium IV de 1,4 GHz e meros 512 MB de memória RAM, equipamento comprado em 2000. Seria impensável – e impossível – rodar qualquer versão decente do Windows 7 nesse equipamento.

Mas vamos deixar a questão do hardware de lado por um momento e pensar no preço do software. A versão mais barata do Windows 7 (Home Basic Full), no Brasil custa 329 reais – não existe a opção de atualização, embora a Microsoft possa lançá-la no início do próximo ano. Em contrapartida, o preço do Ubuntu 9.10 é… zero. Basta baixá-lo, instalar e começar a usar.

Atualização mais fácil
Para atualizar o Ubuntu no PC mencionado acima, foram necessários os seguintes passos: baixar o arquivo e queimá-lo em um CD; iniciar o PC a partir deste disco e instalar o Ubuntu 9.10 nele. O tempo total para realizar isso foi inferior a uma hora.

A instalação do Windows 7 a partir do XP é um processo muito mais complexo e, em nossos testes, consumiu cerca de oito horas. Uma forma de encurtar esse processo é contar com o auxílio de alguns programas extras com o Windows Easy Transfer e o PCmover, além do disco de instalação do sistema operacional propriamente dito.

Definitivamente, esse não é um processo simples, a não ser que você goste muito de lidar com tecnologia e decida fazer isso por sua conta e risco. Se realmente quer usar o Windows 7, o melhor a fazer é comprar um PC novo já com o sistema operacional instalado.

Compatibilidade de hardware
Ainda existe uma ilusão persistente de que o Linux suporta apenas um limitado conjunto de periféricos. Este é um conceito totalmente incorreto. O Ubuntu Linux é capaz de lidar com praticamente qualquer hardware disponível no mercado. Tudo bem que existem alguns itens específicos, em particular algumas placas gráficas e chipsets, para os quais será necessário baixar um driver adicional para poder obter o melhor desempenho gráfico possível.

Mas o que isso tem a ver com a comparação entre o Windows 7 e o Ubuntu? Muito. Ainda que a Microsoft tenha feito um trabalho muito melhor no quesito suporte a hardware com o novo Windows do que vimos no Vista, ainda existem alguns falhas de suporte com relação a alguns dispositivos bem comuns.

Por exemplo, o problema de sincronização do iPhone com o Windows 7 que parece resultado de um combinação entre a versão 64 bits do novo sistema operacional e algumas placas-mãe de alto desempenho que utilizam o chipset Intel P55 Express.

Ou que tal isso: as impressoras da HP ainda não possuem drivers compatíveis com o Windows 7. As informações mais recentes da consultoria IDC dão conta de que a HP detém 54% do mercado norte-americanos de impressoras. É inacreditável

Aplicativos
O senso comum sugere que o Windows tem a vantagem de possuir o maior número de aplicativos disponíveis do que a plataforma Linux. E de fato tem, é fato.

Mas quantos desses os usuários realmente precisam e utilizam? É claro que se o que o usuário realmente precisa são recursos que só existem, digamos, no Adobe Photoshop, então ele não tem qualquer motivo de pensar em usar o Ubuntu nem qualquer outra distribuição Linux. Nesse caso, a pergunta seria: então por que não escolher rodas o Snow Leopard em um Mac? Mas esta é outra discussão.

Entretanto, com exceção de jogos, nada parece apontar em favor do sistema operacional da Microsoft. O Ubuntu (e várias outras distribuições também) vem com uma suíte de aplicativos de produtividade gratuita que faz praticamente tudo que o Office da Microsoft é capaz de fazer.

Quer um cliente de e-mail? O Outlook Express não vem mais com o Windows 7 (embora se ainda seja possível baixá-lo do site da Microsoft). Já o Ubuntu oferece o Evolution, um dos melhores utilitários de e-mail já desenvolvidos.

Precisa fazer backup do seu PC? As duas plataformas oferecem isso, mas apenas o Ubuntu proporciona um serviço online, o Ubuntu One, com 2 GB de capacidade disponível.

Caso necessite de uma ferramenta que não tenha vindo com a distribuição, basta visitar o Ubuntu Software Center, a “loja” do Ubuntu. As aspas estão aí porque tudo o que está lá é gratuito.

No caso do Windows, todo mundo conhece o caminho das pedras. Ou você compra o aplicativo que precisa (seja em uma loja física ou online) ou procura por algo que sirva no Download.com ou Tucows, por exemplo. Só não se esqueça de ter seu cartão de crédito em mão, afinal um bom software para Windows dificilmente será gratuito.

Não esperamos, mesmo, convencer fãs de carteirinha do Windows a trocar de plataforma. Nosso objetivo é acrescentar um pouco mais de lenha na discussão e colocar os usuários para pensar. Se puder, experimente o Ubuntu – e pode-se fazer isso mesmo sem mexer em nada na sua instalação Windows atual.

Quem sabe você não acabe descobrindo que esta distribuição (ou qualquer outra) do Linux é capaz de fazer tudo o que você precisa em um computador com muito menos problemas e sem precisar gastar nada.