Impacto em Júpiter foi detectado com ajuda do Linux

Acabei de ler essa notícia no Estadão e venho compartilhar com os amigos e amigas:

Era por volta de meia-noite de domingo. O australiano Anthony Wesley olhava os astros de sua casa usando um aplicativo no Linux acoplado a uma câmera e, no exato instante em que decidiu fechar a janela na tela, mudou de ideia e resolveu ficar por mais meia hora. Foi aí que ele notou algo estranho em Júpiter: uma mancha escura.

APRENDA A DOMINAR O LINUX

Aprenda a dominar o LINUX de uma vez por todos, pegue sua cópia

  • Ferramentas para instalar softwares adicionais
  • Shell do LINUX passo a passo, e muito mais...

“Quando eu me aproximei (ainda que em péssimas condições), aquilo era apenas um ponto escuro vago. Pensei que fosse uma tempestade polar comum”. Mas ele se aproximou e viu que aquilo era realmente um ponto negro. Wesley ainda supôs que fosse uma lua negra – mas ela estaria no lugar errado, e do tamanho errado. “Percebi que ela estaria se movendo muito devagar para ser uma lua ou uma sombra”. Ele começou a perceber que o ponto estava em sincronia com uma tempestade oval – e então começou a ficar empolgado.

“Demorei 15 minutos para acreditar que realmente estava vendo algo novo”, conta. Depois de checar as imagens recém-tiradas com as fotos do mesmo local tiradas dois dias antes, o astrônomo amador não teve dúvidas e resolveu divulgar a descoberta na rede, no site jupiter.samba.org

Logo depois do aviso, os astrônomos Glenn Olson e Leigh Fletcher, do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) checaram a veracidade do relato. Finalmente, na noite de ontem a NASA confirmou: tratava-se realmente de uma cratera, provocada provavelmente pelo impacto de um astro, cometa ou asteróide. É o segundo impacto do tipo no Sistema Solar – o único conhecido foi descoberto há 15 anos.

fonte

Sobre o aplicativo linux, o Coriander, ele foi feito para fotografias digitais por IEEE1394 bus (conhecido como FireWire ou iLink).